Os 20 anos do Sexo e a Cidade

Há uns dez anos, eu e umas amigas fizemos uma viagem muito divertida a Nova Iorque. Foram apenas quatro dias, mas o tempo suficiente para fugirmos das nossas rotinas e tirarmos um tempo para nos mimarmos. Sentimo-nos uma espécie de protagonistas da série “Sexo e a Cidade”.

Ler mais

Os meus gostos – aviões

Penso que não é a primeira vez que vos digo que adoro viajar. Fazer a mala, entrar num avião, passear pelos aeroportos, mesmo que sejam voos intercontinentais, tudo isto dá-me prazer. Há alguns anos que viajo com mala de mão. Mesmo que seja uma ausência de duas semanas, consigo fazer uma mala que anda sempre comigo, evitando assim a espera, à chegada.

Ler mais

Recordar a Cuba de Fidel

No interior de uma fábrica de charutos, um adolescente de 15 anos ousou gritar bem alto: “mãe, viva a revolução”. Estávamos em Havana e vivíamos dias exaltantes. Há muito tempo que desejávamos conhecer a Cuba de Fidel. Foi há mais de quinze anos e o líder Cubano, ainda bem de saúde, estava longe de entregar o poder ao irmão Raúl, o que só veio a acontecer em 2006.

Ler mais

Os meus gostos – Paris

São fortes os laços que me prendem a Paris. Pessoais e profissionais. Foi a primeira cidade onde estive como enviada especial. Estava a trabalhar em Macau, em 1981, quando viajei para Paris para a cobertura das eleições presidenciais que deram a primeira vitória a François Miterrand.

Ler mais

Amores que nunca morrem

Há quatro anos, estava por estes dias na China. O grupo de jornalistas integrava cerca de vinte pessoas. Algumas, poucas, conheci-as. Outras não. E outras conheci-as do que escreviam sobre mim sem me conhecerem.

Ler mais

O Museu

Como em todas as cidades, é obrigatório visitar o Museu de História de Hong-Kong.
Nesta fotografia, são sublinhadas as reformas iniciadas por Deng XiaoPing em 1980: “um país, dois sistemas”. Politicamente, um regime comunista; economicamente a defesa do capitalismo.

Judite Sousa

Ler mais

Poder económico asiático

Na última década, acentuou-se a deslocação do poder económico para os chamados “tigres” Asiáticos. A prosperidade das regiões económicas especiais, criadas por Deng Xiaoping, foi um bom teste para o “capitalismo” Chinês. Hong-Kong permanece como uma das principais praças financeiras do Mundo, a par de Xangai e de Singapura.

Judite Sousa

Ler mais

Arranha-céus

Hong-Kong é a cidade do mundo com mais arranha-céus por metro quadrado. Começou por ser uma ilha árida e hoje é uma das metrópoles mais cosmopolitas. Por trás de mim, está um dos edifícios mais emblemáticos de HK: o Banco da China.

Judite Sousa

Ler mais