Mudar aos 50! Porque não?

A ideia há já muito tempo que vinha sendo trabalhada na minha cabeça – criar um negócio meu! Mas depois de uma vida “quase inteira” ligada à comunicação, primeiro ao jornalismo e depois na consultoria de comunicação, não era fácil mudar o chip.

Ler mais

Mas afinal de que é feita uma doença mental?

Há quem continue a negar as doenças mentais só porque estas podem não ser causadas diretamente por uma lesão bem localizada no cérebro. Mas será correcto que a aceitação da existência das perturbações psiquiátricas, tão próximas da condição humana e sua subjectividade, depende unicamente de provar a sua natureza biológica?

Ler mais

A maquilhagem não é uma Arte.

O que “define” Arte (escultura, pintura, literatura, música, teatro, dança e cinema) é o facto de não ter função, de não servir para nada a não ser agradar aos sentidos e estimular emoções (o que não é pouco). A Arte é um trabalho de criação quase sempre solitário, e de certo modo egoísta. O “consumidor” gosta ou não, mas o processo criativo não está, em princípio sujeito a uma prévia aprovação de um cliente, ao contrário da maquilhagem.

Ler mais

Pós-Modernidade e Saúde Mental

A Organização Mundial da Saúde, diz que a saúde é “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças. Assim, a saúde mental não é apenas a ausência de doença mental. É definida pela O.M.S. como: “um estado de bem-estar no qual cada indivíduo consegue aperceber-se do seu próprio potencial, consegue lidar com o stress normal da vida quotidiana, consegue trabalhar de forma produtiva e ter sucesso e ainda é capaz de dar a sua contribuição à sua comunidade”.

Ora, como se percebe, tal definição está muito relacionada com o contexto sociocultural em que a pessoa se encontra.

Ler mais

Ser mãe mais tarde? Vai ser possível.

Ser mãe mais tarde é a  pergunta que a maioria das mulheres faz  a ela própria, a partir dos 30 anos, quando pensa em  optar por uma carreira profissional

A evolução dos direitos da mulher nos últimos 60 anos, desde o voto, à liberdade sexual que a pílula permitiu, até à entrada na profissão, não foi acompanhada pela evolução genética.

Se pensarmos, por um momento, no passado, as Rainhas tinham filhos a partir dos 13 anos.

Ler mais