O exercício da entrevista

entrevista cristina ferreira

Apesar de ter para mim que a reportagem é o ADN do jornalismo, a entrevista é um exercício muito difícil na lógica da comunicação.

Políticos e titulares de cargos públicos utilizam esse espaço para fazer passar as suas mensagens previamente estudadas. O papel do jornalista é não vacilar e seguir com o guião do questionário que deve reflectir as perguntas que a opinião pública quer ver e ouvir esclarecidas.

A jornalista norte-americana Bárbara Walters escreveu há uns anos um livro com tradução em português chamado a “Arte da entrevista”. É realmente de uma arte de que se trata: não há 2 entrevistas iguais porque não há 2 entrevistados iguais.

Um ponto tem que ser claro: o controlo da entrevista tem de estar sempre do lado do entrevistador.

Uma das minhas práticas consiste em definir uma média de 10 perguntas chave para uma entrevista de cerca de 30 minutos. A minha regra é menos do que mais porque irão surgir novas perguntas em função de respostas dadas. O segredo é uma escuta activa para que o entrevistador não fique preso a um questionário que foi previamente elaborado mas que pode vir a ser muito alterado em função das respostas.

Judite Sousa

Partilhar

Comentários

Artigos de interesse