Ronaldo: um exemplo de resiliência

Resiliência. Um termo que deriva do latim e significa brotar de novo, superar após um choque ou adversidade.
Uma figura da mitologia grega que se aproxima deste conceito é a fénix. Uma ave que possui a capacidade de renascer das suas próprias cinzas.
É o termo resiliência que ressalta quando falamos de Ronaldo.

Um homem que nasceu num meio pobre, num contexto social difícil, mas que não se resignou, não aceitou um destino traçado, uma existência pré-definida de acordo com aquilo que o mundo lhe deu à priori.

Em psiquiatria e psicoterapia todos os dias lidamos como pessoas que nos revelam um passado complicado, cheio de mágoas, frustrações e dizem-se prezas desse passado.
-“Dr. como não hei de ser deprimido para o resto da vida, com um passado como o meu? Como não hei de ficar refém do meu passado para todo o sempre?”

Os existencialistas revoltam-se contra este tipo de afirmações e são claros, “a existência precede a essência”, diz Sartre. Primeiro existimos, com todas as vicissitudes, problemas, com tudo o que o mundo nos oferece de mau, e depois escolhemos a nossa real essência. Isto significa que apesar de termos algumas limitações, inegavelmente, uns têm mais capacidades intelectuais que outros, outros são mais geniais em termos de desempenho físico, mas existe sempre, sempre algo a fazer com o invólucro em que surgimos no mundo. Costumo dizer aos meus pacientes “isto é o que somos, com que nascemos, com que vivemos, e agora, o que vamos fazer com isto?”. Mais do que ficar uma vida a reclamar daquilo que não somos e não tivemos, é importante pensarmos no que vamos fazer com isso.

A nossa vida é como uma equação. No denominador temos aquilo que nos foi dado, física, psíquica, intelectualmente. No numerador temos aquilo que gostaríamos de ser. Perante esta equação nós podemos definir-nos algo entre os nossos sonhos e as nossas limitações. Mas há sempre algo a fazer, a crescer, a conquistar.

Ronaldo é um exemplo de superação. De não resignação. De luta e de vitória.

Diogo Telles Correia
Médico Psiquiatra e Psicoterapeuta – Professor da Faculdade de Medicina de Lisboa

Partilhar

Comentários

Artigos de interesse