A Bolha Imobiliária

O Banco de Portugal veio com um atraso de dois anos alertar para os riscos da especulação imobiliária. Os preços das casas estão demasiadamente elevados e isso poderá ter consequências graves para as famílias e para o sistema financeiro. É esta a mensagem. Importa, no entanto, sublinhar que esses riscos não são iguais na geografia do país. No Porto, por exemplo, é possível comprar um T4 por 600 mil euros na Avenida da Boavista, muito perto da Fundação Serralves. Quem vive perto, acha que o preço está sobrevalorizado. Mas se olharmos para a realidade de Lisboa e linha de Cascais, um imóvel equivalente custará cerca de um milhão de euros. A variável oferta determina a diferença entre as duas cidades. É em Lisboa, e não por igual em todo o concelho, que a especulação mais se faz sentir. É a capital que está a ser procurada pelos investidores e pelos estrangeiros que querem viver em Lisboa ou, como dizem os Franceses, ter um “pied de terre”. São precisamente os Franceses e os Brasileiros que neste momento estão a comprar nas exclusivas zonas do Chiado e do Príncipe Real onde o metro quadrado chega a valer 12 mil euros. Lisboa e Porto estão, de facto, na  moda, mas por diferentes razões.

Judite Sousa

Partilhar

Comentários

Artigos de interesse