Negoceio com a morte cada livro

Quando estive por estes dias na feira do livro, estava praticamente ao meu lado António Lobo Antunes, um homem ímpar que entrevistei muitas vezes na RTP. Lobo Antunes liberta palavras maravilhosas nas respostas que dá sobre os livros e a vida. Nele, essa linha não existe. Ele diz que negoceia com a morte cada livro que escreve. E assim é. O escritor diz muitas vezes que vai parar, mas todos os anos publica. “A minha vida deixa de fazer sentido sem estar a escrever”. Mantém com a escrita aquilo que ele chama de “luta carnal”.
Há pessoas assim. Temos que saber ouvi-las. Não há um guião. Os espectadores não querem que perguntemos. Querem que o façamos ouvir. Com António Lobo Antunes é assim. Único.

Judite Sousa

Partilhar

Comentários

Artigos de interesse