Os meus gostos – Paris

São fortes os laços que me prendem a Paris. Pessoais e profissionais. Foi a primeira cidade onde estive como enviada especial. Estava a trabalhar em Macau, em 1981, quando viajei para Paris para a cobertura das eleições presidenciais que deram a primeira vitória a François Miterrand. Como a eleição acontece em duas voltas, estive duas semanas em Paris. Foi uma fase de crescimento. Trabalhei e visitei muitos locais que conhecia apenas dos livros de história e de notícias soltas. As igrejas. As catedrais. Os principais monumentos. Os cafés. As lojas de griffe.
Levei o André três vezes à Disneyland, ao Sacré-Coeur, ao Boulevard Saint-Germain, e às minhas avenidas de eleição na margem direita do Sena: Saint-Honoré e L’Avenue Montaigne.
Em Paris, gosto do Plaza Athénée, hotel frequentado por Christian Dior, do restaurante L’Avenue para almoçar e para jantar, vendo gente bonita, de encher os olhos, o hotel Costes.
Não resisto aos crepes de rua e aos escargots do Le Fouquet’s, nos Campos Elíseos.
Nos últimos anos, voltei muitas vezes em trabalho e em turismo. Estive no Europeu de França, na eleição de Emmanuel Macron e na casa do Tony Carreira, onde gravei uma longa entrevista que foi emitida em duas partes.
Paris está sempre no meu coração.

 

Judite Sousa

Partilhar

Comentários

Artigos de interesse