As GAVETAS da VIDA

Ao longo da vida, vivenciamos experiências que nos vão marcar, definir a nossa maneira de estar e pensar, de agir. É no campo emocional que guardamos o que nos foi acontecendo, de bom e de mau. Conhecermo-nos a nós próprios é um exercício muito difícil porque as circunstâncias da vida apanham-nos muitas vezes de surpresa e não estamos preparados para lidar com mágoas, tristezas, mentiras, invejas ou, em sentido contrário, alegrias, bem-estar, uma suposta ideia de felicidade que todos nós temos, embora a palavra, em si mesma, seja indefinível e cada um faça a sua representação mental de felicidade.

A vida é uma aprendizagem constante. O que damos como certo e verdadeiro pode deixar de o ser em horas, minutos, até segundos. Em rigor, ninguém pode dizer que está preparado para as maiores adversidades: a morte, os diversos tipos de sofrimento, a decepção, o fracasso.

O futuro não existe. Temos o nosso passado e vivemos o presente. O futuro é um presente em contínuo. À medida que o tempo passa e que as nossas experiências de vida, sejam elas pessoais ou profissionais, vão sendo substituídas por outras, somos impelidos a guardar lembranças atrás de lembranças. Se isto acontecer no domínio dos afectos, teremos que acumular essas memórias e ficar à espera que o coração se canse para que possamos estar em paz.

Judite Sousa

Partilhar

Comentários

Artigos de interesse